sexta-feira, setembro 08, 2017

Salmo 137, letra de "By the rivers of Babylon", que todos nós já dançamos. Salmos 137





Salmos 137
1 Junto aos rios da Babilônia nós nos sentamos e choramos com saudade de Sião.
2 Ali, nos salgueiros penduramos as nossas harpas;
3 ali os nossos captores pediam-nos canções, os nossos opressores exigiam canções alegres, dizendo: "Cantem para nós uma das canções de Sião! "
4 Como poderíamos cantar as canções do Senhor numa terra estrangeira?
5 Que a minha mão direita definhe, ó Jerusalém, se eu me esquecer de ti!
6 Que a língua se me grude ao céu da boca, se eu não me lembrar de ti, e não considerar Jerusalém a minha maior alegria!
(Os últimos 3 foram retirados, podem ser consultados)

Também Camões escreveu sobre o tema, Babel e Sião
Sôbolos rios que vão

Sôbolos rios que vão
por Babilónia, me achei,
Onde sentado chorei
as lembranças de Sião
e quanto nela passei.
Ali, o rio corrente
de meus olhos foi manado,
e, tudo bem comparado,
Babilónia ao mal presente,
Sião ao tempo passado.
 

Etc.

sábado, setembro 02, 2017

Algumas coisas ficarão para sempre dentro de nós.
Outras podem ser partilhadas.

terça-feira, agosto 29, 2017

Santo Agostinho

 Tarde te amei! Tarde Te amei, ó Beleza tão antiga e tão nova! Tarde demais eu Te amei! Eis que estavas dentro, e eu, fora – e fora Te buscava, e me lançava, disforme e nada belo, perante a beleza de tudo e de todos que criaste. Estavas comigo, e eu não estava Contigo… Seguravam-me longe de Ti as coisas que não existiriam senão em Ti. Chamaste, clamaste por mim e rompeste a minha surdez. Brilhaste, resplandeceste, e a Tua Luz afugentou minha cegueira. Exalaste o Teu Perfume e, respirando-o, suspirei por Ti, Te desejei. Eu Te provei, Te saboreei e, agora, tenho fome e sede de Ti. Tocaste-me e agora ardo em desejos por Tua Paz!

Santo Agostinho, Confissões 10, 27-29

terça-feira, agosto 08, 2017

A maçã

No ramo mais alto da árvore mais alta
uma maçã vermelha.
Ninguém a quis colher...

Ninguém a quis colher?
Muitos quiseram, mas nenhum conseguiu.

Poema de Sapho

segunda-feira, julho 31, 2017

Saudades: de Surrento ou de gente, ou do tempo passado




Embora a palavra saudades não exista em italiano, esta é para mim a canção que mais e melhor exprime a saudade. 
Sentimento que sinto hoje, em particular.



quarta-feira, julho 26, 2017

Navegar



Um dia no verão , eu, o meu primo e a minha prima fomos para um quarto de arrumações em minha casa, metemo-nos dentro de um caixote de papelão com os pés de fora e ali ficamos, muito felizes, a navegar no alto mar, dentro dum navio enorme. Foi a minha mãe que nos informou ser aquilo um navio, e só não embarcou porque não cabia. De repente a minha prima, que era mais nova do que nós, começou a gritar.


- O que tens?

- Uma hipopota ferrou-me num dedo!

Teve sorte. Uma hipopótama no alto mar, enorme e só a mordeu num dedo...

terça-feira, julho 04, 2017

Amor à pátria


"Vereis amor à pátria, não movido

De prémio vil, mas alto e quase eterno"

Camões 

sábado, julho 01, 2017

"Deus me dê contenda com quem me entenda" 

Esta frase é atribuída a Antônio Sergio, mas parece ditado popular, ou mesmo impopular.

domingo, maio 14, 2017

comer as flores em todos os prados






Como deve ser belo poder comer as flores em todos os prados
Engolir a beleza do mundo, amarela, verde, azul, cor de malva rosa
Sentindo o aroma subtil da mistura das sombras
Numa tarde de primavera

Como fazem os cavalos

sábado, abril 15, 2017

Mostra-me a beleza sempre nova da tua desordem





Mostra-me a beleza sempre nova da tua desordem

quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Dar tudo aos filhos


 Quando os pais tentam dais filhos tudo o que podem, devem lembrar-se que, em termos de méritos, o máximo será sempre um mínimo. Há sempre quem tenha um enorme palácio, dois ou três aviões, etc...
Mas noutros aspetos, um mínimo é sempre um máximo: dar-lhes inteligência, alegria, capacidade de se comoverem com a beleza ou com a tristeza dos outros...
É tanto mais! 

quarta-feira, fevereiro 08, 2017

What will be...


" I know not what tomorrow will bring"

Ultimas palavras (escritas) de Fernando Pessoa, que faço minhas.


Pena que nestes últimos momentos tenha escrito em inglês, quem disse que "A minha Pátria é a língua portuguesa", mas ninguém é perfeito...


terça-feira, janeiro 31, 2017



"No meio do inverno, descobri que existia em mim um verão invencível." - Albert Camus

No original: 
"Au milieu de l’hiver, j’apprenais enfin qu’il y avait en moi un été invincible".

Mais pormenores AQUI

terça-feira, janeiro 17, 2017

Brasil: muitos pássaros desconhecidos e estranhos

A primeira sensação extraordinária que O Brasil me despertou foi o ouvir o canto de muitos pássaros desconhecidos e estranhos, todos ao mesmo tempo, como se fosse uma música que eu nunca tinha ouvido. 

Sem os ver. 


domingo, janeiro 08, 2017

O Passado : lugar onde se vive

Tenho amigos que vivem no passado
O passado é um lugar onde se vive...


Assinado: Nadinha

domingo, janeiro 01, 2017

Paz ao Mundo




Há meninas e senhoras que se chamam Maria da Paz, ou qualquer outro nome da Paz. Diminutivo: Pázinha.

Hoje dia seguinte ao dia Mundia da Paz (31 de dezembro), desejemos uma Pázinha. Uma grande Pázinha.

No mínimo.


“Não há violências maiores e menores, nem violências de estimação. O coração humano é o campo de batalha onde a violência e a paz se defrontam, onde nasce o conflito.”  - Papa Francisco, 31 dezembro 2016

P.S.: Imagem da Net